segunda-feira, 15 de outubro de 2018

A Luta do Progresso Humano através do Caos



Nas discussões jurídicas não é raro evocar-se a ordem ao discurso, principalmente quando em temas como: garantismo jurídico, Estado de Direito, constitucionalismo. É a famosa ordem social, o motivo da existência do Estado se resume em manter a ordem, pelo menos na doutrina clássica da Teoria Geral do Estado. 

E de fato, o objetivo deste texto não é questionar a validade da ordem para o sistema de garantia de direitos que contextualiza a função do Estado, para que a vida em civilização ser possível é necessário uma certa ordem, o que compreende a proteção efetiva dos direitos humanos, o respeito à lei, à hierarquia social etc. 

Tendo um ponto de início na doutrina de Kelsen e ambientado em todo o processo de evolução do Estado e dos direitos humanos, este artigo tem como norte ressaltar a importância do caos tanto para a ciência jurídica como para todos aspectos e searas da humanidade. 

Mas primeiro, permita-me definir o que se entende por CAOS, neste texto.

Tal como o vento provoca ondulações em uma lago, onde as águas estavam "paradas" ou em sentido contrário, o CAOS é um fator de mudança, ou a própria mudança considerada em si mesma. É o que permite ir do ponto "A" ao "B".
Em resumo, trata-se uma palavra que se relaciona com todos os tipos de processos de revoluções, sejam estas sociais, jurídicas, científicas, capitalistas etc. O CAOS é a quebra do paradigma, é o que permite a superação de estado normativo vigente para o florescimento de uma nova era. 

Como por exemplo, a revolução francesa, a luta pela independência, a revogação da escravidão, o republicanismo, a teoria da relatividade, as guerras mundiais, a expansão do império romano, mudanças climáticas etc. 

É bom ressaltar que não necessariamente uma comunidade em que o caos atuou irá progredir e avançar na garantia de direitos humanos, é simplesmente a mudança da situação, ocorrendo a alteração de uma realidade para outra, ou ainda o caos pode apresentar efeitos positivos e negativos muito tempo depois de sua ocorrência, como foi o caso da revolução francesa e das guerras mundiais. 

Então qual é o valor jurídico do caos?


Como já ressaltado na parte introdutória a ordem permitiu a sobrevivência humana até o presente humano, mas nem tudo são flores na ORDEM. 

Isto porque ordem e paz não são sinônimo!! Nem sempre onde existe ordem há paz, a ordem é simplesmente a manutenção de um sistema jurídico de submissão do administrado perante o administrador, entre vassalo e soberano, no holocausto havia ordem, mas direitos humanos foram violados da forma mais cruel possível.

Até porque a ação do Estado pressupõe uma repressão, que pode ser mais leve ou mais pesada mas sempre repressiva, é a a submissão da vontade de um, ou de poucos, sobre os demais. Tudo bem que a vida em sociedade, pelo menos por ora, é impraticável sem a interferência do poder político do Estado, sendo, portanto, um remédio amargo.

Certamente que este é um remédio que de forma progressiva e gradual vem perdendo seu amargor na medida que os direitos humanos são garantidos, mas a verdade é que a superação do atual estado de direito não se dará pela mão da ordem, mas sim, pela ação do caos, e do caos alcançar uma nova ordem. 

Assim, existe um círculo eterno entre caos e ordem, esta dicotomia que de forma oposta se completa, ambos são necessários, e até mesmo de forma simultânea.

E isto não é a vontade de uma revolução sanguinária e violenta, é necessário retirar esta características etimológica da palavra, apenas se referindo ao caos como um comportamento de questionamento, de inovação, de provocação e de oposição, afinal nós, como seres pensantes, devemos sempre buscar o melhoramento de todas as coisas, a perseguição do ideal. 

Deste modo, devemos repensar o direito, o Estado, as relações sociais, a ciência política, a democracia, há muito a que avançar, e principalmente se queremos superar o atual paradigma devemos ensinar em nossas faculdades não apenas o atual estado da ciência mas igualmente como superá-lo.



Deixe sua opinião nos comentários: Qual é o futuro do Direito?

Compartilhe nas redes sociais. 

segunda-feira, 24 de setembro de 2018

Os Quatros Cavaleiros do Apocalipse - Deus morreu



É perceptível que após o fim da Idade Média, a Igreja Católica perdia seu poder de dominação aos poucos, como causa as disseminações das ideias de Lutero e Calvino sobre a fé, os comerciantes em ascensão formando um grupo chamado de burguesia, a mudança na arte através do enaltecimento da cultura Greco-Romana, os avanços nos campos científicos e tecnológicos e toda a filosofia racionalista se sobrepondo a fé. Como consequência desses e outros fatos, surgiu mais tarde, as revoluções industriais e a Revolução Francesa, esse último em destaque já que o clero perdeu de vez seu controle direto sobre a civilização ocidental.
Em análise, na nossa sociedade, percebemos que nós mudamos bastante a forma de pensar, não somos mais ignorantes como as pessoas eram na Era Medieval, devido a facilidade de encontro as informações e fontes de conhecimento. Então Deus morreu, pelo simples motivo da nossa mudança de concepção da realidade, não precisamos mais de Deus, ele não possui mais nenhuma utilidade, o homem como medida de todas as coisas com sua racionalidade e a ciência, ele pode montar e desmontar qualquer coisa, entre elas: Deus.
"Deus morreu! Agora é a vez do homem, ou melhor, do Super-Homem!" -Nietzsche.

Durante a Idade Média, o homem que renunciasse a Deus, estaria cometendo um erro fatal, já que isso poderia leva-lo a um lugar infernal, de chamas eternas, logo todos temiam ao poder de Deus. Porém com as contestações de Lutero sobre esse Deus tão mal, começaram a partir daí, a mudança na visão do povo sobre Deus, tornando um ser mais amoroso e misericordioso. Logo com o passar dos séculos a ciência, o antropocentrismo, e a valorização da razão tomava frente e Deus perdia seu lugar aos poucos.
Devido ao sua repercussão pode se dizer que a II Revolução Industrial foi o grande marco para a chegada dos "4 cavaleiros do Apocalipse" sendo eles: Darwin, Marx, Freud e Nietzsche. 

Dessa maneira, na Bíblia, no livro das Revelações(Apocalipse) cita que existem sete selos que manifestam acontecimentos do fim dos tempos, sendo que os primeiros quatro trazem os cavaleiros. Assim cada um deles teve sua importância para a queda de Deus, no entanto vou focar naquele que anunciou a queda da moral cristã e a proposta de renovação individual, através do Super-Homem.
"Observei quando o Cordeiro abriu o primeiro dos sete selos. Então ouvi um dos seres viventes dizer com voz de trovão: "Venha! Olhei, e diante de mim estava um cavalo branco. Seu cavaleiro empunhava um arco, e foi-lhe dada uma coroa; ele cavalgava como vencedor determinado a vencer." – Apocalipse 6:1-2

Aquele filme, fraquíssimo, Deus não está morto, pouco tem haver com o que Nietzsche diz sobre a morte de Deus, mas o que ele quer dizer não é uma questão de ateísmo, já que não nega sua existência, Nietzsche fala que como causa da mudança de pensamento e a relação do homem com a vida em si, o capitalismo, a supervalorização do eu, a independência proporcionada pela ciência e razão fortaleceu o homem e Deus se enfraqueceu. 
Por exemplo: ninguém fica só rezando quando está doente, a pessoa pelo menos toma um remédio, porque ela acredita que se ficar só de oração pode morrer. Outro exemplo, a Teologia da Libertação que busca explicar os fatos religiosos como os milagres divinos através da ciência - Olha outro cavaleiro ai (Marx) - Ora se a ciência consegue dizer como multiplicar os pães naquele período, hoje então é uma questão de tempo pra que algum (gênio) invente um multiplicador de pães e esteja passando na TV pra você comprar e usar em casa.
Contudo se Deus morreu, Nietzsche propõe uma nova forma de ver de o mundo sem ele, a criação de uma nova moral, um homem e mulher fortes para resolver suas próprias questões e problemas. Um ser que consiga lidar e enfrenta o enorme vazio do universo, a indiferença do universo se reduz ao poder do Super-homem. Eis o fim da moral do fracos, aqueles que não conseguem lidar com a existência sozinhos, que necessitam criar um Deus pra protege-los pra justificar esse niilismo que existe, fugir da realidade e esperar uma salvação é um erro ou senão o erro da vida. Se existir pecado, esse pecado é o apego, se existir liberdade e respostas ela é o super-homem.
Deus nada mais é do que uma tentativa de explicar, dar sentido a indiferença do universo.


Deixe sua opinião nos comentários. 

Caso tenha gostado compartilhe! 

quarta-feira, 25 de julho de 2018

Raízes do Populismo - A Política do Aproveitador

Seguindo a linha de pensamento que foi trabalhada no artigo Raízes do Autoritarismo - Política do Medo, hoje vamos abordar mais uma modalidade de corrupção política, isto é, um meio do qual os políticos utilizam para enganar o povo afastando-se do interesse comum para atender os próprios interesses.

Vamos observar o que é o populismo, qual é a vantagem para os políticos degenerados, os seus malefícios para a sociedade e por fim, vamos nos vacinar contra ele.


segunda-feira, 16 de julho de 2018

Preconceito Genético - O que o Futuro nos Reserva?


Muitas coisas herdamos de nossos pais e avós, como cor dos olhos e cabelos, estatura e porte físico, e muitas vezes até comportamentos e trejeitos. 

Mas quem nunca ouviu a frase: "Tão inteligente como o pai/mãe dele/a".

É o famoso "filho de peixe, peixinho é".

O mais interessante é que o conhecimento humano na genética ainda é muito superficial, porém, por isso mesmo esta é uma área da ciência que avança muito, tendo todo ano descobertas inovadoras, e algumas chocantes. 

Hoje, o intuito desse artigo é colocar em evidência as consequências e reflexos de uma nova descoberta da genética e da neurociência. Ahhh as polêmicas do biodireito

Foi descoberto que a inteligência tem origem metade nos genes que herdamos e metade na educação que recebemos!!

Em uma pesquisa, cientistas americanos e finlandês, compararam gêmeos idênticos com pares de gêmeos fraternos. 40 pessoas passaram por testes de QI e exames cerebrais, 95% dos gêmeos idênticos - com exatamente o mesmo genoma - tiveram resultados muito semelhantes, enquanto nos gêmeos fraternos - que não possuem o mesmo material genético - somente 60 % tiveram resultados iguais. 

Para mais detalhes leia a reportagem da superinteressante: Fonte. 

QUAL É A PROBLEMÁTICA? 


segunda-feira, 9 de julho de 2018

Política do Medo - Raízes do Autoritarismo

Já se perguntou como o nazismo e fascismo alcançaram o poder?


Vamos conversar sobre isso!

Tanto Hitler, como qualquer outro líder, foi essencialmente um grande estrategista, soube trabalhar muito bem com o psicológico humano. Pessoas como o líder nazista surgem em momentos de crises, e através de diversos gatilhos mentais mexem com a cabeças da população fazendo parecer que são necessários para o bem da nação.

Mas pelo contrário, como a história provou mais de uma vez, são na verdade muito nocivos ao seu país, e em casos extremos, ao mundo como um todo.

Este artigo, portanto, é um alerta ao perigo do autoritarismo. Melhor, até porque que o autoritarismo é ruim chega a ser óbvio, mas aqui alertamos para a importância de notar as características do autoritarismo para cortar o mal pela raiz. 


Hoje para nós, os modernos, é muito fácil criticar o nazismo, afinal suas atrocidades são óbvias, mas se estivemos na Alemanha pré-nazismo será que conseguiríamos prever o autoritarismo e evitar que Hitler subisse ao poder? Fica a reflexão!

Não podemos voltar ao passado, ainda, mas temos o dever de aprender com o passado e evitar a sua repetição. Então, a dúvida que fica é: somos capazes de perceber autoritários?

Como identificar um autoritário? 


Hoje apresento umas das mais poderosas, e comum, ferramentas do autoritarismo: o MEDO.


quarta-feira, 27 de junho de 2018

Jesus ou Marx? Pra que Deus?






Nesses últimos dias assisti ao filme: A última tentação de cristo, de Martin Scorsese. E lembrei de alguns questionamentos que tive com meu professor de religião, que é seguidor do catolicismo, no entanto acredita na ideologia dos vermelhos, auto denominado: Socialista cristão. Então a partir daí um questão veio a minha cabeça:

Será que realmente é possível o cristianismo e o marxismo casarem? 

segunda-feira, 25 de junho de 2018

Quem Tem Medo de Tecnologia? - Inovar para Prosperar


Quem tem medo de lobo mau? Quem tem medo de mau? 


Pois é! Se você parar o lobo pega! 


Não é mais algo do futuro o trabalhador humano ser substituído por uma máquina, a tecnologia vem revolucionando o mercado de emprego e a vida cotidiana, mudando para melhor. 

A tecnologia não deve ser temida, pelo contrário quando bem utilizada é uma potente aliada em prol da eficiência e qualidade de vida. 

O homem vem transformando a natureza a seu favor desde que o mundo é mundo:
  • A descoberta do fogo 
  • A roda 
  • O vidro
  • Sistema de esgoto 
  • Bússola 
  • Pólvora 
  • Aviões 
  • Prensa mecânica 
  • Energia elétrica 
  • E muitas outras invenções ...
O homem, pela sua curiosidade nata, vem melhorando sua qualidade de vida através da criatividade da inteligência, assim, conquistou os ares e as profundezas do oceano. 

Como será o futuro? Qual será a tecnologia do futuro? 


A automatização do trabalho é de certa forma uma polêmica, muitos afirmam que seria prejudicial que robôs disputem espaço no mercado de trabalho, de modo que faltaria emprego para humanos. 

Eu discordo. 

Ao meu ver, para o progresso humano a automatização é importante, primeiro permite que robôs façam o trabalho que poucos querem fazer ou então serviços arriscados, e segundo, robôs em tese seriam mais eficientes e precisos que humanos. 

Mas o ponto mais relevante nem é este, é apenas uma vantagem acessória.


Até porque com robôs fazendo o trabalho que hoje fazemos, poderíamos nos dedicar em outras áreas que hoje são pouco visadas, que trariam progresso à sociedade como um todo, como educação, pesquisa e desenvolvimento de tecnologia, e até mesmo arte.

Por outro lado, a introdução de operários robôs teria por consequência a geração de empregos em diversos outros setores vinculados à área, como por exemplo a manutenção robótica. 

Não existe tecnologia má, isto é uma característica humana, tudo dependerá como esta é utilizada. 

E quanto ao mercado de trabalho, a verdadeira lição, pode ser cruel, mas adaptasse ou saía, porque as novas gerações estão vindo cada vez mais familiarizadas com a tecnologia. 


Então caro leitor, não tema a tecnologia mas esteja sempre antenado, nunca se sabe quando uma oportunidade vai surgir, um bom exemplo disso é o Steemit, uma rede social que você escreve e ganha em criptomoedas, aqui embaixo vou deixar meu perfil, você pode ler vários textos sobre filosofia e literatura: 

https://steemit.com/@joaoprobst


Qual é a sua opinião? Devemos temer a tecnologia? Quais serão as tecnologias do futuro? 

Eu aposto em carros populares movidos a energia solar e elétrica, e entregas sendo feitas por drones. :)

Indicação de leitura:

Ex Machina: Religião das Máquinas

Curta no facebook: Ágora do Pensamento

Até a próxima! Compartilhe nas redes sociais!